Investigações do MP e da Sespa sobre “escondidinho”  descoberto no hospital continuam sem respostas

Sob a administração da OS Pacaembu, hospital construiu “escondidinho” que está sob investigação do MP e da Sespa/Agência Pará-Divulgação

Dia 29 de setembro, de 2021, 12 horas

Corre para fechar cinco meses o procedimento determinado pelo corregedor-geral do Ministério Público, Manoel Santino, que prevê investigar o infame caso do “escondidinho” construído em espaço contíguo ao auditório do Hospital Público Abelardo Santos, Distrito de Icoaraci, onde foram encontrados respiradores que deveriam ser usados no atendimento a pacientes de Covid-19. A maracutaia é atribuída à OS Santa Casa Pacaembu, que administrou o hospital até abril deste ano, e foi afastada pelo governo do Pará por conta das investigações da Polícia Federal relacionadas a desvios de verbas federais para o combate à pandemia. Por conta dessas investigações foi descoberta a organização criminosa que tornou Nicolas André Tsontakis um dos mais jovens e ricos pecuaristas do País – preso pela PF com outras figuras do crime, inclusive sócios da OS Pacaembu.

Veja: PF rastreia Mustang dado em
pagamento de terras na região de Paragominas

(link https://colunaolavodutra.com.br/dinheiro-da-pandemia/)

Caiu no vazio

Cinco meses depois do início das investigações, o Ministério Público do Pará ainda não se manifestou, o que torna o caso bastante curioso pela coincidência entre essa investigação e a investigação anunciada pela Secretaria de Saúde do Estado, através de comissão especialmente crida para tal. Supostamente, o trabalho da Secretaria iniciou logo depois da descoberta do “escondidinho” e a transferência dos equipamentos para lugar incerto e não sabido – o almoxarifado da Secretaria de Saúde? O Hospital Regional de Castanhal, que segue funcionando a meio pau sob o comando da família Sefer? Ninguém sabe; ninguém diz. Pelo sim, pelo não, a sociedade espera resposta, ao menos do Ministério Público.

Veja: MP já tem elementos para identificar
(ou não) parede falsa no “Abelardo Santos”

(link https://colunaolavodutra.com.br/respiradores/)

Boca do peixe
também importa

Leitor da coluna conta que consumidor, por decisão pessoal – para se prevenir com certo exagero da contaminação da Doença de Haff, a doença das “urina preta” – resolveu dar um tempo no consumo de peixes de pele com habitat preferencialmente em rios e que tenham a “boca para baixo”, passando a consumir somente os da costa do Pará, de escama e com a “boca para cima”. Coincidência ou não, grande supermercado de Belém que faz promoção semanal na venda de pescados reduziu os preços dos “boca para baixo”, mesmo os mais nobres, e aumentou os preços dos “boca para cima”. Sabedoria popular é isso aí.

BRT Belém pinta
de elefante branco

O BRT foi construído para melhorar as condições de transporte aos usuários que dependem de ônibus e para desafogar o tráfego nas avenidas Almirante Barroso e Augusto Montenegro. No entanto, em alguns horários, o sistema se transforma em um elefante branco, porque a maioria dos coletivos continua trafegando nas laterais das avenidas, engarrafando o trânsito e  favorecendo a lotação das filas de espera nas paradas. Enquanto isso, na via do BRT, as estações estão quase sempre vazias e na pista não faltam ciclistas usando a área como ciclovia. A prefeitura fecha os olhos e faz de conta que não é com ela. 

Barco parado

Na parada de ônibus construída em frente à Estação Tapanã do BRT, o que menos se vê é ônibus parando, porque parece que até agora o serviço não foi regulamentado pela prefeitura. À população que depende de ônibus, resta ficar sob sol e chuva nas paradas antigas. Nada, nada, é mais dinheiro público que sai pelo ralo.

  • A procissão do Círio 2021 está cancelada. Réveillon e Carnaval-2022 já deveriam ter suas programações bem definidas, pois nenhum dos dois pode ficar para cima da hora.
  • Para quem reservou um cruzeiro marítimo para a Europa no ano passado e foi cancelado por causa da pandemia, continua dúvida se deve ou não se reprogramar para 2022
  • Afinal, as decisões sobre a flexibilização de acessibilidade em muitas cidades parecem estar em constante observação.
  • A Comissão de Finanças e Tributação da Câmara aprovou projeto do federal Hélio Leite, com emendas, que prevê a presença de tradutor e intérprete de Libras nas salas de aula dos ensinos básico e superior.
  • A versão original do projeto tinha o objetivo de facilitar o acesso à comunicação, à informação e à educação de alunos surdos. 
  • Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis autorizou a operação da quarta planta de biometano, combustível renovável já utilizado em diversos países, proveniente de aterros sanitários.
  • O Chile anunciou ontem o fim do estado de emergência para Covid-19, porque mais de 88% da população do país já está vacinada.
  • Por estas bandas, o governo comprou, com dispensa de licitação, alguns milhares de doses de vacinas do Instituto Butantã por mais de R$ 10 milhões.

Deixe o seu comentário