Divulgação

Banpará contrata empresa
por R$ 4,5 mi para organizar
filas e alugar tendas e cadeiras

Quarta-feira, 2 de junho de 2021

A contratação de empresa do Rio de Janeiro – com dispensa de licitação – para prestação de serviços de organização de filas, locação de 50 tentas e 2,4 mil cadeiras por quase R$ 4,5 milhões colocou o Banpará como protagonista do festival de gastos praticados por órgão públicos na tipoia da pandemia. A informação caiu como bomba entre os próprios servidores do banco, a maioria identificando, a partir de simples olhadela no mercado, alguma suspeita de irregularidade no contrato milionário. O pano de fundo para o negócio é a criação de infraestrutura para atender clientes de programas sociais do governo.

Ponta do lápis

Pelo contrato firmado entre o Banpará e a Lep Music Produção, Gravações e Edições Musicais Ltda, especializada não na organização de filas, mas na área musical e de eventos, os valores parecem absurdos. No mercado de Belém, por exemplo, 50 tendas custariam R$ 40,5 mil (50 x R$ 810) e 2,4 mil cadeiras sairiam por R$ 102,960 (2,4 mil x R$ 42,90), ou seja, pouco menos de 2% do valor do contrato. Mais: o valor de R$ 143,4 mil para compra de 2,4 mil cadeiras e 50 tendas pagaria 31 jogos iguais por R$ 4.465.913,00.

Nem te ligo

Na suposição de que os preços contratados pelo banco são justos, ainda parece estranho contratar uma empresa do Rio de Janeiro em detrimento do mercado local. Afinal, em Belém, como em diversas cidades do interior do Estado, há dezenas de empresas capacitadas e em condições de atender esses serviços. O que, afinal, justificaria desprezar empresas locais privilegiando uma de fora deve entrar na conta daquelas razões que a nossa própria razão desconhece, mas, ao fim e ao cabo, é o retrato do “momento Pará”.

Espia só

O ex-Procurador de Justiça do Pará Gilberto Martins (foto) ingressou com recurso contra a decisão do promotor de Justiça Militar, Armando Brasil, de arquivar a representação contra o chefe da Casa Militar do governo, coronel Costa Junior, por supostos atos de improbidade administrativa – leia-se espionagem contra o então PGJ. No recurso, Gilberto Martins pede a suspeição do promotor Armando Brasil e a remessa do recurso para outra promotoria ou até mesmo para avaliação do Conselho Superior do Ministério Público.

Divulgação

Arenga braba

Além de supostas ligações do promotor militar com o governo alegadas por Gilberto Martins, é de conhecimento público que ele e Armando Brasil são inimigos figadais. Desde que deixou a PGJ, por exemplo, Gilberto Martins, também promotor militar, despacha em outro ambiente, bem distante do seu desafeto. No recurso, Gilberto Martins relata decisões recentes de Armando Brasil para apontar o que entende como ligações com a família Barbalho.

Olho no lance

O que se comenta no parquet, a propósito das investigações abertas pelo promotor Aldo de Oliveira Seife para apurar denúncias envolvendo o ex-secretário Alberto Beltrame em aluguel de avião e helicóptero, é que o procedimento não deve ser confundido com a atuação da PGJ contra o governo do Estado. O máximo que ele pode fazer é dar melhor ou pior estrutura para favorecer as investigações. Quando as ações chegarem ao TJ, porém, caberá a ele recorrer ou não da decisão que sairá do 2º grau. Convém aguardar.

Não custa tentar

O deputado delegado Toni Cunha ameaça protocolar novo pedido de impeachment do governador Helder Barbalho na Assembleia Legislativa. Sabe que não conseguirá o número de assinaturas necessárias, mas quer chamar para si os holofotes e, com isso, trazer à tona informações que ele, como delegado de Polícia Federal, afirma ter sobre as investigações que estão em andamento contra o chefe do Executivo Estadual.

Cara e coroa

Toni Cunha se rebela por ter sido excluído do grupo que integra a CPI da Vale – trabalho que pode custar caro para cada um dos sete deputados que compõem o colegiado, uma vez que um simples acordo entre a mineradora e o governo do Estado daria fim ao circo montado até aqui. Difícil vai ser explicar ao eleitorado, sobretudo aquele do sul e sudeste do Pará, os ingredientes e processos que resultariam na pizza do ano.

É diferente

Usando como referência a PA-150, o deputado Toni Cunha não poupa palavras contra o governo Helder Barbalho para criticar o Estado de abandono da rodovia. Segundo ele, em alguns trechos, uma das principais estradas de integração do Estado está praticamente intrafegável, prejudicando principalmente o escoamento da produção que vem dos municípios do sul e sudeste do Pará. É bem diferente do que diz a propaganda oficial. 

“Puta Dei”

O governo do Pará e o Sistema Único de Saúde – isso mesmo: o SUS – emprestam apoio ao “Puta Dei”, evento que,  nesta quarta, comemora o Dia Internacional da Prostituta. Em Belém, o evento ganha contornos digamos, mais salientes, com o tema “Puta Picada”. Fique claro desde já: a coluna não tem qualquer pré-disposição ao evento do Gempac, com participação da Rede Brasileira de Prostitutas e folder enfeitado com a imagem da Bandeira Brasileira usada nas mídias do governo Bolsonaro. Só que nem o jornal dos Barbalhos, nem “o jornal da família paraense” vão dar a informação.

  • E deu-se o fato de que, para além das fronteiras do absurdo, o governador Helder Barbalho nomeou o novo reitor da Uepa, onde a lei, mais do que nunca, virou potoca.
  • Pelas regras do jogo, segundo a própria PGE, a chapa encabeçada pelos professores Clay Cunha e Ilma Pastana Ferreira não poderia assumir por imposições legais, mas rasgaram a lei e o Estatuto da instituição e tudo ficou acomodado.
Divulgação
  • Caiu a decisão que mandava suspender os contratos firmados entre a Câmara de Vereadores e a Prefeitura de São Miguel do Guamá com o escritório de advocacia Mendes e Mendes. A decisão é do desembargador José Maria do Rosário (foto).
  • Durante o lançamento do belíssimo Cartaz do Círio 2021, criação da Mendes Publicidade, protocolo cumprido dentro da Basílica, mas, fora da igreja, a aglomeração foi total.
  • A Prefeitura de Belém lançou ontem o aplicativo “Meu RPPS”, ferramenta digital para uso de aposentados e pensionistas da previdência municipal no item Prova de Vida.
  • O Detran instalou radares do tipo fixo em oito pontos da rodovia BR-316, entre os Km 10 e 16. Para começar, os equipamentos começaram a funcionar em regime educativo.
  • Os radares passarão pelo período de notificação educativa até o dia 13 deste mês, mas terão as penalidades contabilizadas de forma definitiva a partir do dia 14.
  • Famílias tradicionais do sul e sudeste do Pará passaram a mudar da região tal a insegurança causada por organizações criminosas fortemente armadas.
  • Todos sabem que policiais civis e militares compõem esses grupos envolvidos com grilagem de terras, mineração ilegal, pistolagem, grandes assaltos e extorsões.
  • O zagueiro Perema deu um discreto soco em Jonathan no momento do pênalti marcado contra o Paysandu no final do jogo com a Tuna, que Leo Rosa desperdiçou. Pelo menos é o que consta na súmula do jogo como causa da expulsão do atleta.
  • Esfriou completamente a compra do CT do Remo, após a desclassificação do time do Parazão. Para completar, a Justiça não abriu mão do desconto na quota do clube nos jogos da Copa do Brasil e o caixa está zerado.

Deixe o seu comentário