Avanço de Nilson Pinto na máquina do governo
deve acelerar desembarque de Zequinha Marinho

Segunda-feira, 26 de julho de 2021

Mais novo integrante da base de apoio do governador Helder Barbalho, o deputado federal Nilson Pinto também deve funcionar como motor para oficializar o desembarque definitivo do senador Zequinha Marinho do governo, no qual seus espaços vêm sendo reduzidos ao passo em que deixam para trás um corolário de mágoas e ressentimentos. Fontes da Casa Civil do governo apontam que Nilson Pinto espichou os olhos para assumir a Adepará e acomodar o aliado Mário Moreira. A Adepará ainda está na cota do PSC de Zequinha Marinho, que indicou para o cargo Jamil Macedo, através dos deputados Jaques Neves e Dr. Galileu.

Sede ao pote

Desde que virou as costas para o PSDB e passou a se insinuar abertamente para o governador Helder Barbalho até se bandear de vez, Nilson Pinto, cujo plano é eleger a mulher dele à Câmara Federal, segue avançando, a ponto de abocanhar a Secretaria de Pesca e Aquicultura, a Sedap, levando de roldão mais de 30 cargos comissionados. A Secretaria era da cota de Helenilson Pontes, que deve sair candidato nas eleições de 2022 sem laços com o governo. Nessa fronteira, porém, Nilson Pinto tomou a secretaria de Giovani Queiroz e a confusão está formada.

Vai dar jogo

Independentemente de quem seja o candidato, o grupo – restante – encabeçado pelo PSDB para as eleições do ano que vem aposta todas as fichas na memória do eleitorado. Vídeos com os grandes feitos do partido e ao som dos jingles que empolgaram tanta gente têm sido recorrentes nos grupos de Whatsapp de integrantes do tucanato. As falas do ex-governador Simão Jatene, que têm aparecido cada vez mais nas redes sociais, também seguem pelo mesmo caminho.

Deplorável mutirão

Do procurador Carlos Fernando dos Santos Lima sobre o que  chama de transformação da corrupção no Brasil pós-Lava Jato e o mutirão empreendido pelos alvos da operação para destruí-la: A classe política se uniu, utilizando-se não somente dos mecanismos formais de controle dos órgãos públicos, mas também de uma cúpula do Judiciário que foi lá colocada por representar os mesmos interesses e passou a retaliar instituições, interferir em investigações, anular processos, perseguir membros do MP e destruir o arcabouço legal de combate à corrupção.

Poder sem pudor

Também como reação à Lava Jato surgiu os fundões eleitoral e partidário, as emendas impositivas e o orçamento secreto comandado pelo presidente da Câmara, tudo a revelar uma mudança nos métodos de apropriação do dinheiro público pelos políticos. Como as empresas encontram-se cada vez mais refratárias a se envolver em corrupção, o sistema político simplesmente deixou de lado qualquer pudor para se apropriar diretamente das tetas do governo. 

Enfim, o paraíso

Agora pagamos sem intermediários, direto do Tesouro Nacional, a compra de partidos e correligionários, a manutenção no poder de elites políticas e o abuso do poder econômico nas eleições. Com Rodrigo Maia e Arthur Lira, finalmente a classe política chegou ao paraíso.

Aeroporto ampliado

A Infraero concluiu o projeto da nova área de aviação geral do Aeroporto Internacional de Belém – agora Val-de-Cans-Júlio Cézar -, que inclui novo pátio, com capacidade para 50 aeronaves, três novas pistas de taxiamento, acesso viário e estacionamento de veículos. Um novo terminal, com 340 metros quadrados, também será construído para receber passageiros e tripulações.

Todos os voos

A nova área, que soma um total de 43 mil metros quadrados, receberá as operações de aviação geral do Aeroporto Brigadeiro Protásio, que será desativado para a construção de um parque público estadual. A mudança de aeroporto ocorrerá quando as obras estiverem finalizadas e homologadas pela Anac. 

Estádios vazios

Pelo menos duas associações já deram sinais de que entrarão com ações públicas na Justiça contra o retorno do público aos estádios de futebol, a exemplo do que aconteceu em Brasília, que autorizou a presença de torcedores na partida do Flamengo pela Libertadores da América. Na capital do Distrito Federal, três entidades moveram ações contra a medida. A Justiça rejeitou todas.

Divulgação

Sob controle

Boletim divulgado hoje pela Secretaria de Saúde do Estado (veja imagem) aponta o que todo mundo vai gostar de saber: o comportamento da pandemia no Pará está sob controle, apesar das aglomerações e da falta de cuidados sanitários que se tem observado desde o início do veraneio. Os números são acompanhados pelo comitê técnico-cientifico que assessora o governo do Estado e já estavam previstos. Contudo, não custa nada lembrar que todo cuidado é pouco: números muito baixos podem gerar aumento. Fica a dica.

  • Conta a história que, em dezembro de 2002, FHC, no apagar das luzes, transferiu os galpões da CDP para o Estado do Pará, onde o então secretário Paulo Chaves planejava construir espaço para turismo, lazer, arte, feiras de negócios e centro de convenções.
  • Ao assumir, em 2003, Lula revogou a decisão e os galpões voltaram à CDP, ou seja, ao governo federal. Hoje, 21 anos depois, o governo comemora a mesma coisa como se novidade fosse.
Divulgação
  • O presidente da Fiepa, José Conrado (foto), confessa-se animado com o voluma das exportações do Pará registradas neste primeiro semestre. Aliás, todo o setor produtivo paraense está enxergando luz no fim do túnel.
  • US$ 5 milhões de investimentos, nos próximos cinco anos, em ações de fiscalização para a preservação da Amazônia é o que prevê o novo acordo bilateral assinado entre Brasil e Japão. 
  • Com atendimento voltado a mulheres gestantes portadoras de doenças renais, psiquiátricas ou doenças cardíacas, e bebês com cardiopatia, o serviço de obstetrícia do Hospital de Clínicas alcançou a marca de 280 partos e nenhum óbito materno ou fetal registrado.
  • Os dados são do período entre janeiro de 2020 e maio de 2021 e revelam a importância do acompanhamento complementar especializado ao pré-natal em uma gestação de risco.
  • Bengui, Cabanagem e Jurunas, bairros contemplados com o programa Terpaz, reduziram em mais de 40% o número de roubos ao comparar o período de 1 a 16 de julho, dos anos de 2020 e 2021.
  • Ciclofaixa, Covid-19, criptomoeda, feminicídio, homoparental, judicialização, pós-verdade e telemedicina estão entre os mil novos verbetes acrescidos na nova edição online do Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa, editado pela Academia Brasileira de Letras.
  • Cerca de 80% dos 242  competidores brasileiros em Tóquio recebem Bolsa Atleta, criado em 2005 e considerado um dos maiores programas de patrocínio individual de atletas do mundo.
  • Aliás, o Bolsa Atleta sofreu reformulações pelas autoridades brasileiras que o tornaram blindado contra os infames privilégios concedidos aos “peixes”.
  • Apesar de as redes sociais estarem inundadas de imagens, as polícias Civil e Militar de São Paulo juram de pés juntos que não sabem quem foram os atores do ato terrorista fantasiado de “protesto contra o governo federal”, no caso, o “incidente” da queima do monumento de Borba Gato.

Deixe o seu comentário