No Pará, menos da metade
da população recebe
água tratada, diz estudo

Divulgação

16/4/2021

Estudo do Instituto Trata Brasil coloca o Pará no fim da fila dos Estados da Região Norte no item “acesso à água tratada (foto), coleta a tratamento de esgoto”. Com 8,3 milhões de habitantes, o Estado oferece água tratada a apenas 45,3% da população, de acordo com o Sistema Nacional de Informações Sobre Saneamento, com base em dados coletados em 2017. Segundo o estudo, apenas 6,3% da população têm acesso à coleta de esgoto em um Estado cuja perda de água bate a casa dos 40%, superando a média nacional, de 38,3%.

Haja mortes

O estudo também aponta que os baixos investimentos em esgoto tratado repercutiram em números alarmantes de casos de doenças por veiculação hídrica, como verminoses, diarreias, hepatites, problemas de pele, além de ajudar na proliferação do mosquito Aedes aegypti. O Pará foi um dos Estados com maior número de internações e óbitos por doenças de veiculação hídrica no País em 2017, com registro de 31.510 internações que, por consequência geraram nada mais, nada menos do que 91 mortes.

Ponta da faca

Tudo pode acontecer, inclusive nada: 0por decisão do STJ caberá à Justiça Federal processar e julgar denúncia do MP do Pará que envolve o vice-governador Lúcio Vale em denúncias de desvio de quase R$ 40 milhões destinados à merenda escolar. Como se sabe, Lúcio Vale está com um pé no TCM, vaga aberta com a compulsória de Lula Chaves, indicado pelo governador Helder Barbalho, dependendo apenas da Assembleia Legislativa.   

Novo Midas

Anderson Baronov deixa a vice-presidência de Relações Governamentais da Norsk Hydro para a América Latina e assume a presidência do Simineral, vaga aberta com a saída de José Fernando Gomes Jr. para a Sedeme. Baronov (foto) tem 30 anos de carreira atuando em projetos de gestão, vendas, comunicação e gerenciamento de sustentabilidade. É graduado em Administração e Finanças e possui MBA em Políticas Públicas pela Universidade de Chicago, nos Estados Unidos.

Divulgação

40 anos de atraso

Estudo do Banco Interamericano de Desenvolvimento analisou 40 anos de investimentos na América Latina e avaliou 200 casos de projetos específicos que tiveram conflitos. Em 80% dos projetos estudados, problemas socioambientais levaram a atrasos no cronograma de, em média, cinco anos e elevando o custo desses projetos em quase 60%, obrigando à revisão de orçamentos e à adição de 70% a mais de recursos.

Novas ideias

Os dados foram apresentados pelo secretário Mauro Ó de Almeida, titular da Secretaria de Meio Ambiente do Estado, em reunião do Consórcio de Governadores da Amazônia Legal, na última quarta-feira. A reunião online serviu para a apresentação de projetos de infraestrutura no âmbito do Plano de Recuperação Verde e envolveu discussões sobre como agrupar projetos estaduais de forma sustentável e sair do atraso recorrente.

Na esteira

O governo do Pará integra iniciativa em defesa do meio ambiente ao se juntar a mais de 20 Estados brasileiros que assinam carta ao presidente dos EUA, Joe Biden, que prevê fortalecer a agenda ambiental internacional e o Acordo de Paris. A ideia é melhorar o clima no planeta. O documento será enviado até o dia 20 deste mês, através do embaixador dos EUA no Brasil, Todd Chapman.

Alto fluxo

Paciente amigo da coluna conta como o uso de máquina de cateter de alto fluxo proporcionou a mudança no quadro de agravamento da Covid-19, pelo qual passou. O equipamento já é usado como protocolo de atendimento no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, e tem evitado em 70% a intubação de pacientes. Com a iminência de fim do estoque do kit intubação, o uso do cateter de alto fluxo é uma alternativa para reduzir a necessidade de internação em UTI, de custo mais elevado e menor perspectiva de alta.

Porém…

Mas, como sempre, há um porém: a quantidade de máquinas dessa tecnologia disponível em Belém e nos demais municípios paraenses é mínima. Alguns hospitais já estão correndo atrás de adquirir os equipamentos, para disponibilizar no tratamento dos que chegam à internação sem o quadro muito agravado.

Vacina transparente

Tramita na Assembleia Legislativa projeto de lei do deputado Eliel Faustino que dispõe sobre medidas de transparência e segurança na manipulação e aplicação da vacina contra Covid-19. O projeto tem base em denúncias de irregularidades na aplicação de imunizantes. De acordo com o projeto, o paciente – ou acompanhante – terá assegurado o direito de assistir todo o processo de vacinação – verificação do frasco lacrado, aspiração do líquido para a seringa até aplicação e esvaziamento -, com direito a registrar a picada.

Mortes maternas

Ano passado, o Brasil foi apontado como o país com o maior número de mortes maternas ocasionadas pela Covid- 19. Gestantes e puérperas têm risco maior de desenvolver complicações – não raro precisando de UTI e ventilação mecânica. Eliel Faustino sugere ao Governo do Estado incluir as gestantes e puérperas no grupo prioritário de vacinação contra o coronavírus, como forma de proteger e prevenir mortes que devastam famílias.

Cara a cara

Pela vontade do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, a CPI da Covid, que irá investigar não só as ações e omissões do governo federal e o colapso na saúde, mas as possíveis irregularidades, fraudes e superfaturamentos em contratos e serviços feitos com recursos originados da União e enviados a Estados e municípios terá audiências presenciais. Quer dizer, pelo menos o “cara a cara” das audiências será “perigoso”. De resto, só o tempo dirá.

.Nova hipótese

O Ministério da Economia abortou o plano de nova Proposta de Emenda à Constituição e agora cogita vetar parcialmente as emendas parlamentares e aumentar a meta de déficit primário dos atuais R$ 247 bilhões para cerca de R$300 bilhões. A ideia chegou aos ouvidos do presidente da Câmara, Arthur Lira, mas ainda está no campo das hipóteses. Técnicos do Tesouro dizem que a proposta pode consertar de vez o Orçamento de 2021. A área técnica da Câmara defende que execução seja ajustada ao longo do ano. 

  • As voltas que o mundo dá – ou seria ironia do destino? O senador Jader Barbalho, suplente na CPI da Covid-19, corre o risco de investigar o próprio filho, Helder Barbalho, governador do Pará.
  • Morreu ontem, vítima de Covid-19, Lílian Veloso, viúva do jurista Zeno Veloso, falecido mês passado, também por causa da mesma doença.
  • O bloco parlamentar Vanguarda, formado por senadores do DEM, PL e PSC, indicou os senadores Zequinha Marinho e Jorginho Mello (PL-SC) para fazerem parte da CPI da Pandemia.
  • A comissão investigará ações e omissões do Planalto no enfrentamento da pandemia e a aplicação de recursos federais por Estados e municípios no combate à Covid-19
  • Essa CPI da Pandemia, à luz dos nomes de alguns integrantes, tem tudo para acabar em pizza. É mais gasto de dinheiro público, muita marola e risco mínimo aos investigados.
Divulgação
  • O jogador Eduardo Ramos (foto), com passagens pelo Paysandu e Remo, deu as caras, finalmente, e ontem rescindiu contrato com a Tuna Luso. Já vai tarde, dizem os lusos.
  • Proposta do deputado Eliel Faustino aprovada pela Alepa garante tratamento gratuito e remoto de assistência psicológica a pacientes recuperados de Covid-19 no Estado.
  • Pela proposta, o Estado abrirá canal de acesso remoto, inclusive através de parcerias, com profissionais habilitados para diagnosticar consultar pacientes recuperados da doença.
  • O vereador Zeca do Barreiro, do Avante, pediu ao Executivo para poupar da degola iminente servidores públicos temporários da saúde em meio à crise sanitária que Belém atravessa.
  • Parece que os efeitos da CPI da Pandemia, ainda não aportaram em Mocajuba, Ontem, como em outros dias, nenhum posto de saúde do município tinha a presença de médico, para o desespero silencioso da população.
  • No hospital municipal “Maria do Carmo Gomes”, médico e enfermeira, não suportaram a demanda extra dos bairros desprotegidos dispensavam pacientes.
  • Números divulgados pelo Sindju apontam 926 afastamentos e 30 mortes de integrantes do Judiciário paraense, enquanto o TJ segue mantendo o trabalho presencial.
  • O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil aprovou proposta que prevê a criação de um fundo a ser usado na compra e aplicação de vacinas contra o novo coronavírus em seus associados. A proposta foi aprovada na terça última terça.
  • Segundo a entidade, a aquisição das doses só ocorrerá depois de imunizados os grupos prioritários e quando a oferta de vacinas for suficiente, para que a OAB não precise competir com o Estado.
  • O CNJ recomenda aos Tribunais do País que avaliem a pertinência de prorrogar, até 31 de dezembro de 2021, a suspensão dos prazos de validade dos concursos públicos. A medida leva em conta as necessidades sanitárias de cada localidade.
  • O comitê criado pelo governo federal para o enfrentamento da pandemia estipulou 520 milhões de doses de vacina contra a Covid-19 até o final deste ano, além de uma antecipação de 15,5 milhões de doses.

Deixe o seu comentário