Divulgação

Em nota ao prefeito

Edmilson Rodrigues,
PSB nega “rachadinha”

A direção do PSB no Pará encaminhou nota ao prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues, na qual esclarece que “parlamentares eleitos e muitos comissionados filiados sempre contribuíram voluntariamente para a manutenção da estrutura partidária e para as ações políticas e eleitorais do partido”. No Pará, o deputado federal Cássio Andrade, o deputado estadual Fábio Figueiras e os vereadores Gleisson Oliveira e Fábio Souza contribuem regularmente para o custeio das atividades e estruturas partidárias.

Tudo limpo

Segundo a nota, “é natural que ocupantes de cargos eletivos e muitos ocupantes de cargos comissionados contribuam financeiramente”. A nota informa que “muitas pessoas vinculadas ao PSB, que ocupam cargos de confiança, também doam voluntariamente até 10% dos seus vencimentos”, amparadas pelo estatuto do partido, que preconiza essa contribuição financeira, não havendo irregularidades ou falta de ética nessa prática.

Então, tá

Vá que seja, deputado Cássio Andrade (foto), mas, no caso da Secretaria de Urbanismo, falta combinar com os “contribuintes”. Contribuição voluntária sugere aceitação, o que não está acontecendo no setor Jurídico da Secretaria, conforme denunciou a coluna. Seja como for, que o partido ao menos se digne a receber as “contribuições voluntárias” em sua sede, evitando as suspeitas de que esse voluntarismo esconde mesmo a infame “rachadinha”.

Divulgação

Cadê o dinheiro?

As redes públicas de saúde em cidades-polos no Pará estão recebendo pacientes de Covid-19 de muitos municípios, mas têm esbarrado em um problema na hora de receber o devido pagamento: o dinheiro não chega. O Estado recebe os repasses do Sistema único de Saúde, não passa o valor correspondente em sua totalidade e a conta está alta. Já tem prefeitura pipocando e fazendo figa para que o Estado seja mais ágil nessa providência.

Obra lenta

R$ 11 milhões foi quanto o Dnit teria empenhado na completa recuperação do trecho da Rodovia Belém Brasília que de Ipixuna do Pará a Paragominas, afetado por um enorme rompimento da pista. A informação veio de ninguém menos que o general Santos Filho, diretor-geral do órgão federal, durante reunião remota provocada pela deputada Renilce Nicodemos, do MDB. O atraso da obra, segundo o general, é culpa do solo encharcado deste período de inverno amazônico.

Tem mais

O general Santos Silva também garantiu à parlamentar paraense que já está em curso o plano de recuperação para a BR-155, no trecho que liga Marabá a Redenção, região sudeste do Pará que, como a coluna já informou, encontra-se em estado precário.

Bateu, levou

Não convidem para a mesma mesa o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e o presidente russo, Vladimir Putin. Recentemente, Mr. Biden chamou o ex-agente da extinta KGB de “assassino”. Ao jornal Inglês “The Mirror”, Putin disse que “é preciso ser um (assassino), para reconhecer o outro”, e ainda desafiou o americano a um debate ao vivo em uma transmissão para todo o mundo. As acusações de Biden foram ao ar em uma entrevista na televisão ABC News. Para Biden, Putin “é um homem sem alma”.

Biden caiu

Do alto dos seus 78 anos de idade, o Joe Biden caiu três vezes ao tentar subir a escada do avião presidencial Air Force One. O democrata estava na Base Aérea Andrews, em Maryland, com destino à Atlanta, Geórgia. Biden é a pessoa mais velha a assumir a Casa Branca. Na campanha presidencial, o antecessor, Donald Trump, chegou a dizer que Biden não tinha preparo físico para ser presidente dos Estados Unidos, apesar do adversário ser apenas quatro anos mais velho. Apesar dos tombos, Biden está “100% bem”.

Vida e morte

A história que rola na internet sobre o jovem superatleta que permaneceu na UTI por mais de dois meses e perdeu 27 quilos virou polêmica entre a classe médica. O tempo que ele permaneceu intubado foi muito maior do que o de um idoso, que fica em média dez dias, tem alta ou vai a óbito. Aos médicos resta o pesadelo de escolher entre quem vive e quem morre, porque não há UTI para todos e a preferência são os mais velhos.

Barco e ciência

Recursos liberados pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações irão permitir ao Museu Paraense Emílio Goeldi executar obras de adaptações no barco “Ferreira Penna”, que integra a estrutura da Estação Científica do Museu na Floresta Nacional de Caxiuanã, em Portel, para ações educativas junto às populações ribeirinhas do Marajó. O nome do projeto é “Embarque Na Ciência” e a coordenação é de Maria Emília Sales,

14 anos

A unidade da mineradora Hydro em Paragominas comemora 14 anos de atividade produtiva. A Mineração Paragominas opera mina de bauxita, o primeiro elo da cadeia do alumínio, e celebrou a data reunindo colaboradores, no último sábado, para o plantio de mudas na área de reflorestamento da empresa. O programa de reabilitação das áreas mineradas já soma 2,5 mil hectares plantados, o equivalente a 2,5 mil campos de futebol.

Parcerias

A empresa funciona como laboratório natural para análises técnicas e científicas em parceria com a UFPA, Ufra, Museu Paraense Emílio Goeldi e a Universidade de Oslo. A mineradora usa a tecnologia Tailings Dry Backfil na mineração de bauxita – testada e licenciada pela Semas -, com a qual é possível retornar o rejeito de bauxita para a área minerada antes do processo de reabilitação, eliminando a construção de barragens.

  • O presidente do Remo, Fábio Bentes, negociou com as autoridades de saúde do Estado e conseguiu liberação para retomar os treinamentos em Castanhal. O Paysandu vai na esteira.
  • Hospitais particulares e Belém liberaram do trabalho presencial apenas chefes de setores da área administrativa e afins. Os demais estão expostos a todos os riscos da pandemia.
  • O deputado Igor Normando (foto) admitiu em suas redes sociais que virou telespectador do Big Brother, o reality da Rede Globo. E passou a comentar todas as tretas do programa.
  • Além de todas as propriedades cantadas em prosa e verso, o açaí virou “veículo” de transporte de drogas para o sul maravilha. A “muamba” é embalada em sacos de açaí congelado.
  • Entreouvido em uma feira de Ananindeua: a Região Metropolitana de Belém não tem nem onde despejar lixo domiciliar “e ainda cai lixo espacial em Ananindeua”.
  • O comentário jocoso de refere aos restos do foguete francês “Ariane 5” que, segundo especialistas, se desintegraram ao entrar na atmosfera terrestre, deixando um rastro de fogo observado em Belém e Ananindeua.
  • O Hospital Ofir Loyola concluiu com sucesso mais uma cirurgia com o paciente acordado e com testes neurofuncionais do cérebro para a retirada de tumor intracraniano.
  • O paciente, um entregador de delivery de 30 anos de idade, sofria com epilepsia há dez anos em decorrência da lesão tumoral. A cirurgia é indicada para casos de epilepsia refratária, ou seja, que não melhora com os remédios.
  • O projeto Gira-Sol, da Enactus UFPA, foi selecionado como uma das 48 melhores iniciativas, entre 174 projetos de 23 países na Race For Climate Action, uma competição mundial para iniciativas empreendedoras que ajudam a combater as mudanças climáticas.
  • De ordem do MPF, o governo do Pará fica obrigado a divulgar quantitativo de pessoas que aguardam na fila por leitos e pacientes que morreram à espera de leito.
  • A questão é que o site de transparência da Sespa aponta a existência de mais vagas que as que realmente estariam disponíveis no banco de dados do sistema de regulação.
  • O TJ abriu inscrições aos interessados em participar da cerimônia de casamento comunitário que costuma encerrar a Semana Estadual da Conciliação no Pará.
  • A Justiça Federal no Pará julgou 241 mil processos durante um ano do funcionamento do Plantão Extraordinário. Desse total, 226.451 foram julgados em 240 dias úteis, média de 944 demandas apreciadas por dia útil.
  • Prefeitos  do Marajó decidiram suspender a maioria das atividades comerciais, esportivas, sociais  e religiosas na região. 

Deixe o seu comentário