Fiel escudeiro de Edmilson Rodrigues, Aldenor Júnior divide a administração com Edilene Rodrigues e o vice-prefeito eleito Edilson Moura vai escanteio/Divulgação

A coroa é do rei, mas a majestade é do chefe de Gabinete, Aldenor Júnior, e da irmã Edilene Rodrigues. Quanto ao vice-prefeito, Edilson Moura, ex-deputado e ex-secretário de Governo na administração Ana Júlia resta um melancólico terceiro plano na gestão municipal. Essa intrigante situação foi descortinada depois de o prefeito Edmilson Rodrigues testar positivo para Covid-19 e ser internado, semana passada. O que acontece de fato entre as quatro paredes da Prefeitura de Belém só as paredes confessam. O certo é que o professor Edilson Moura, do PT, está isolado, sem agenda e desolado.

Sem tugir, nem mugir.  
É duro ser estátua.

O que se diz nos bastidores é que Edilson Moura segue “mordendo a corda” e pouco reclama da vexatória situação em que se encontra e na qual se encaixa o próprio partido, o PT. Que o prefeito Edmilson Rodrigues só tem olhos para o MDB de Helder Barbalho está claro, mas, preferencialmente, reza pela cartilha do “primeiro- ministro” Aldenor Júnior, fiel escudeiro e chefe de Gabinete, e da “primeira-ministra”, a irmã Edilene, responsável pelas “contas”.  Como segue internado, Edmilson sequer pode fazer política, que é o que lhe resta nesse latifúndio. A administração pública que espere pelos “donos” não votados.

Deixe o seu comentário