Contrato de morte

Helder interfere e manda
transferir pacientes do
“Abelardo” para o “Galileu”

Sábado, 17 e domingo, 18 de abril de 2021

O Instituto de Saúde Social e Ambiental da Amazônia, OS que administra o Hospital Abelardo Santos, em Icoaraci, parece ter chamado a atenção, enfim, do governador Helder Barbalho, tamanho é o descalabro administrativo e a má gestão já apontados pela coluna. Nesta semana, ante o iminente fechamento do hospital para tratamento de Covid-19, Helder Barbalho decidiu autorizar a transferência de pacientes para o Hospital Galileu, como forma de salvar o que ainda resta entre as vítimas da doença distribuídas em quatro andares do hospital – cada um para 50 pacientes -, 25 enfermarias e 25 UTIs.

Vidas perdidas

Em meio à barafunda no Hospital Abelardo Santos, a única coisa certa é o alarmante número de mortes, segundo fontes da coluna: média de uma por dia, em 15 dias, por baixo. A OS assumiu a gestão do hospital em março, sem pessoal ou qualificação técnica, mas embolsou mais de R$ 100 milhões. Hoje, parte dos funcionários segue sem contrato formal de trabalho, mas na folha de pagamento aparece profissional com função estranha exercendo estranha função para um hospital, o que dá à morte mais opções para agir.

Sem remédios

A situação é tão crítica no Abelardo Santos que pacientes morrem quase todo santo dia por falta de oxigênio. O hospital não tem bombas de infusão suficientes para atender a demanda e, durante a noite, a crise se agrava, porque algumas enfermarias operam sem o profissional competente. Nem se fala na falta de medicamentos – não por desabastecimento do mercado, mas porque a OS não compra, alegando “imposições” dos fornecedores.

Cabelo em pé

Em meio a tanto mistério e à falta de fiscalização da Secretaria de Saúde ou quem de direito – Ministério Público estadual e federal -, equipe do Conselho Regional de Enfermagem visitou o hospital dia desses e saiu de cabelo em pé. Entre outras “ilações” ouvidas de funcionários por lá se diz que a OS é dona de locadora de veículos para o hospital – veículos que ninguém vê – e outros problemas de menor porte, todos envolvendo muito dinheiro. Mas, como se diz, isso são outros quinhentos. 

Questão de ética 

Como interessado direto na apuração do objeto da CPI da Covid, uma vez que seu filho, governador do Pará, é acusado de diversas irregularidades relacionadas à pandemia, o senador Jader Barbalho (foto) não deveria aceitar fazer parte da Comissão, ainda que na condição de suplente, pois está eticamente impedido. Bem, cabe ao Senado alterar esse quadro, como forma de dar transparência e legitimidade aos trabalhos da Comissão.

Divulgação

Está na Bíblia

Diz o Antigo Testamento (Gênesis 11,1-9) que a Torre de Babel, construída na Babilônia, foi a primeira tentativa do homem de alcançar o céu – e caiu, ou teria sido derrubada. Moral da história: torres caem, ou são derrubadas, ainda mais quando alicerçadas em falsos pilares, um por dia, até atingir 50 pilares por mês. Em tempo: onde se lê 50 pilares por mês leia-se R$ 50 milhões  e é mais quem “entrega” pilares para a construção.

Sim e não

A Comissão de Constituição e Justiça da Alepa deve votar nesta terça projeto legislativo do governador Helder Barbalho que dá ao vice-governador Lúcio Vale confortável assento no TCM – apesar de ser réu em processo judicial sob a acusação de desvio de recursos da merenda escolar – cerca de R$ 40 milhões, segundo o MP. A votação, pelo regimento, será secreta, ou seja, ninguém precisa dizer quem votará contra ou a favor.

Comércio abre

Acordo entre os Sindicatos dos Lojistas e dos empregados do comércio  deverá manter as lojas de rua e de shopping abertas no feriado de 21 de abril, facilitando a vida do consumidor, já com vistas aos presentes do Dia das Mães, dia 9 de maio. A grande novidade poderá ser a abertura das lojas no tradicional feriado de 1º de maio, Dia do Trabalho, em acordo que poderá ser fechado ainda este mês entre patrões e empregados.

Nova direção

parquet se manifesta dividido com relação às futuras ações do Ministério Público no combate à corrupção. O que se diz nos bastidores é que as mudanças ocorridas no Gabinete de Segurança Institucional (GSI) e no Gaeco, as duas unidades de Inteligência do MP irão “dar uma trégua” ao governo do Estado, que vinha sendo fustigado pelo PGJ Gilberto Martins em várias frentes. As apostas estão abertas, mas há divergências.

Linha de frente

Na outra ponta, fala-se que a nova indicada para comandar o Gaeco, promotora Ana Maria, é uma das mais atuantes do MP, conhecida por sua “diligente atuação” em Castanhal e em Mosqueiro. A favor dela contam-se várias investigações “exitosas”, a ponto de ser reconhecida como “de linha de frente”. Seus defensores lembram que, nos últimos quatro anos, praticamente todas as ações do Gaeco focaram o governador Helder Barbalho.

Credo cruz

A treta que sacode a Prefeitura de Marituba envolve a exoneração da vice-prefeita, pastora Rafaela, do comando da Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social. É que a prefeita Patrícia Mendes impõe como regra apoio incondicional ao marido dela por qualquer servidor do município, incluindo a vice-prefeita. Ocorre que o marido da pastora obedece à outra cartilha, escrita por Josué Bengtson e Martinho Carmona, pela qual se deve apoiar e eleger apenas integrantes da Igreja Quadrangular.

Nem tanto…

Não é verdade que todos os 41 integrantes da Assembleia Legislativa do Estado estejam “nas mãos” do governador Helder Barbalho, como acredita a maioria da população. O programa “Creches por todo o Pará”, por exemplo, virou lei ao ser aprovado por suas excelências e publicado na edição da última quarta-feira do Diário oficial do Estado. Ao sair da Assembleia para a sanção do governador, o placar da votação assinalou aprovação de 40 x 1. Como diria a prefeita de Marituba na campanha eleitoral, “99 não é 100”.

Aqui tem

O tratamento de oxigenação por membrana extracorpórea, ao qual o ator Paulo Gustavo está submetido e custa cerca de R$ 30 mil por dia, é feito com equipamento que existe em Belém. O Hospital das Clínicas Gaspar Vianna está entre os 21 centros do País credenciados pelo SUS para manipular o equipamento, oferecido originalmente em cirurgias cardíacas. O uso contra Covid-19 em hospitais públicos o SUS não autoriza.

Novo golpe

Atenção para o novo golpe em ação no Facebook. Homens casados recebem fotos de alguma internauta despida e disposta a tudo. Horas depois, a vítima recebe uma ligação – muito provavelmente de dentro do presídio – do suposto marido da usuária ameaçando revelar a conversar entre os dois à mulher da vítima. Exigência ao silêncio tem custado entre R$ 1 mil e R$ 2 mil. A Polícia Civil começou a investigar alguns casos.

  • Acaba que o ex-prefeito de Ananindeua Manoel Pioneiro vira já, já “candidato” ao TCE se insistir em disputar vaga ao Senado, como andam dizendo alguns (nem tanto) amigos dele.
  • A solução do “Vai pra lá” já está sendo aplicada no Pará com aparente sucesso, noves fora a palavra da Justiça Federal, conforme a coluna informou na última quinta-feira.
  • Outra coisa, para encurtar conversa: eventual acordo envolvendo PSDB-MDB no Pará tem que passar pelo ex-governador Simão Jatene, ex-senador Flexa Ribeiro e ex-prefeito Zenaldo Coutinho. O resto é confeitaria.
  • Como se sabe, qualquer solução política para as eleições de 2022 envolvendo os tucanos paraenses precisa do aval da Executiva nacional do partido. Mas, o tempo é de marola.
  • O que se diz é que a OS Pará 2000 não paga a empresa de vigilância Belém-Rio para forçar a extinção do contrato de serviços e abrir vaga para a Fortan, que tem à frente o “segurança” Bené Magalhães.
  • Empresas de locação de veículos, de vigilância patrimonial e até de fornecimento de alimentos, nada escapa ao lobby.
  • Se duvidar, já, já investe em empresa de engrenharia e de saúde, se é que já não está investindo. O certo é que o “laranjal” cresce a cada dia.
  • Chama-se Moisés o primeiro-ministro de Marituba. A rainha da Inglaterra, perdão, a prefeita Patrícia Mendes dança conforme a música que ele, empresário dos bons, toca.
Divulgação
  • O professor Carlos Maneschy (foto) não deverá retornar ao comando da Sectet nesta segunda-feira. Embora queira, Maneschy está sendo contido por especialistas que cuidam de sua plena recuperação, após a Covid-19.
  • Calma, pois o que é de vocês está guardado – e não foi por falta de aviso. Quem tem teto de vidro não atira pedra para cima.
  • Na reforma do Palacete Faciola, à avenida Nazaré com a travessa Dr. Moraes, chama atenção o valor da obra: R$15,9 milhões, suficientes para construir três palacetes iguais.
  • A se confirmar o boato de que a Prefeitura de Belém irá reinaugurar os trilhos da área comercial do centro da cidade, bem que o Paysandu deveria doar os “bondes”.
  • Esses “equipamentos”, importados equivocadamente, também estão fora dos trilhos desde que chegaram e, definitivamente, a Curuzu não é o melhor lugar para eles.
  • O magnífico reitor Emmanuel Tourinho descobriu agora que existe carência alimentar em Belém e anuncia o lançamento de campanha de doação de alimentos em meio à pandemia.
  • Não precisa dizer ao magnífico que a UFPA, que ele comanda em segundo mandato é localizada entre os bairros do Guamá e Terra Firme, onde “carência alimentar” é pouco.
  • Parece total descaso com a vizinhança – e é. Aliás, todas as universidades públicas deveriam manter um programa de combate à carência alimentar do entorno.
  • A Ufra, ex-Escola de Agronomia da Amazônia e ex-Fcap festejou 70 anos, ontem, com solenidades virtuais ao comando do reitor Marcel Botelho.
  • Capitão reformado da Polícia Militar, professor universitário e escritor, Ivanildo Alves foi eleito para presidir a Academia Paraense de Letras.

Deixe o seu comentário