Secretário de Meio Ambiente afirma que o Pará “é a síntese dos desafios na Amazônia” e por isso almeja a meta “net zero”/Agência Pará

Estado irá apresentar estratégia de bioeconomia durante o Fórum Internacional de Bioeconomia, em Belém, baseada em pesquisa, desenvolvimento e inovação; patrimônio genético e conhecimento tradicional associado; e cadeias produtivas e negócios sustentáveis.

Divulgação

Em entrevista ao podcast do Simineral, na última sexta, o secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Pará, Mauro O’ de Almeida (foto) disse que, em contribuição ao que chamou de “ambiciosas metas climáticas do Brasil”, o Pará pretende ser “net zero”, ou seja, emissor zero de gases que causam o efeito estufa até o ano de 2036. “A gente também pretende fazer a propulsão de uma economia sustentável como contribuição às ambiciosas metas climáticas do Brasil, ainda em vigor, mas a gente tem metas climáticas, também, de ser “net zero” até 2036”.

Na entrevista, o titular da Semas também adiantou que a estratégia de bioeconomia que o Estado irá apresentar nos próximos dias no Fórum Internacional de Bioeconomia, que acontecerá em Belém, está calcada em três eixos de desenvolvimento: pesquisa, desenvolvimento e inovação; patrimônio genético e conhecimento tradicional associado; e cadeias produtivas e negócios sustentáveis.

Nós somos a síntese de desafios na Amazônia, porque temos um potencial mineral, energético, agropecuário importante. Então, nós, sendo uma das fronteiras mais dinâmicas da Amazônia legal, é natural e suscetível que a gente tenha esse papel de liderança natural, nós não queremos dizer que somos melhores que ninguém, mas naturalmente, somos uma síntese dos desafios da Amazônia”, disse.

Deixe o seu comentário