Ideia do governo federal é permitir que o ano letivo de 2022 repare as perdas escolares ocorridas durante a pandemia com transporte para todos/Divulgação

Unicef aponta que, durante a pandemia, 5 milhões de estudantes abandonaram as escolas e 4 milhões não conseguiram estudar por falta de conexão à internet. Veículos escoilares serão financiados pelo FNDE.

A pandemia de Covid-19 aumentou ainda mais os índices de evasão escolar no Brasil, segundo estudo do Fundo de Emergência Internacional das Nações Unidas para Infância (Unicef). Cinco milhões de estudantes abandonaram os estudos, um crescimento de 5% entre os alunos do ensino fundamental e 10% no ensino médio, em comparação a 2019. Sem contar os 4 milhões de alunos que não conseguiram estudar por falta de conexão à internet.

Neste contexto, o transporte escolar pode contribuir de forma significativa para reconduzir os estudantes às salas de aula, segundo especialistas e gestores públicos. Os municípios já podem comprar os ônibus escolares com financiamento do governo federal e benefícios fiscais pelo programa Caminho da Escola, visando o ano letivo de 2022.

A iniciativa é financiada pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), e prevê renovar, padronizar e ampliar a frota de veículos escolares das redes municipal, estadual e de educação pública básica, contribuindo com o desafio de minimizar os índices de evasão escolar.

De acordo com um levantamento realizado órgão, a cada mil alunos, cinco deixaram de evadir das escolas graças à suficiência de veículos escolares. Por outro lado, mais de 70% dos Estados brasileiros que aderiram ao programa registraram uma redução da desistência de alunos.

O programa federal permite que a aquisição dos veículos seja realizada de três formas diferentes, de acordo com a realidade de cada município: por meio de assistência financeira do FNDE, com recursos próprios do município ou por uma linha de crédito do BNDES.

Deixe o seu comentário