Todos os crimes do presidente:  
curandeirismo, charlatanismo, de
epidemia e propaganda enganosa

Divulgação
Quinta-feira, 12 de agosto de 2021

Se um dos objetivos da chamada CPI da Covid (foto) era investigar as ações do governo federal no combate à pandemia, pode-se dizer que a missão – bem ou mal – está praticamente cumprida; se a mesma comissão investigaria governadores e prefeitos sobre a aplicação de verbas federais repassadas para o combate à doença e não o fez por razões que a própria razão desconhece, a resposta é a mesma. A Comissão caminha para encerrar os trabalhos e uma das decisões aponta para o pedido de indiciamento do presidente Bolsonaro pelo Ministério Público Federal pelos crimes de curandeirismo, charlatanismo, de epidemia e de publicidade enganosa. Quantos aos governadores, bem, estão livres, leves e soltos, ancorados na tipoia do Supremo Tribunal Federal, que os tirou das investigações.

Relatório final

Ontem, o presidente da CPI, senador Omar Aziz, anunciou que os trabalhos do colegiado estão perto do fim e que os parlamentares já possuem “dados suficientes para fazer um relatório final”. Os trabalhos da comissão iniciaram no dia 27 de abril deste ano e inicialmente tinha um prazo de 90 dias. Em julho, foram prorrogados em mais três meses e “não há mais nada ou quase nada a investigar” acrescenta o presidente. “A CPI mostrou muitas coisas que o Brasil não sabia sobre o descaso no combate à pandemia” disse.

O porém de sempre

A palavra do presidente da CPI pode virar fumaça, dependendo do que sairá de outros integrantes da Comissão que alimentam a expectativa não de ouvir os governadores – ante o impedimento imposto pela Suprema Corte -, necessariamente, mas auxiliares de governadores presos pela Polícia Federal no Rio de Janeiro, Santa Catarina, Amazonas e Pará, além de integrantes do Consórcio Nordeste. Em outras palavras, ainda há muita roupa no quaradouro para secar, ao contrário do que pensa o senador Osmar Aziz.

Dia do pendura

Foi-se o tempo em que estudantes da Faculdade de Direito faziam do 11 de agosto, em que se comemora a instituição dos cursos jurídico no Brasil, o famoso “Dia do Pendura”. O golpe consistia em ocupar restaurantes e bares, vestidos à caráter, no melhor estilo “esporte fino”, onde comiam e bebiam à vontade e, na hora de pagar a conta, aplicavam um calote “respeitável”, depois de lido um discurso de elogio rasgado aos quitutes da casa.

Os dois mais

Muitos donos de bares e restaurantes, escolados, nem abriam mais os seus estabelecimentos nesse dia. Em Belém, nos anos 1980, dois desses golpes foram aplicados pela mesma turma: um, no antigo Hilton Hotel, que levou na esportiva e “faturou” em cima da promoção noticiada nos jornais; e o outro, no Avenida, onde a coisa esquentou. Geralmente, lembra o jornalista – e advogado – Tito Barata, os estudantes deixavam os professores advogados de sobreaviso, caso o calote saísse do controle.

Inteligência artificial

Prevista para ser lançada nos próximos dias, a nova versão do Enem Pará, projeto da Sectet para alunos da rede pública que farão a prova do Enem, conta com várias novidades. A mais expressiva é o uso da inteligência artificial na plataforma, que vai classificar o grau de dificuldade de cada aluno para corrigir falhas e distorções no aprendizado por meio de exercícios, simulados e aulas de reforço.

Amigo da cultura

A Norte Energia recebeu o Selo de Empresa Amiga da Cultura, concedido pela Secretaria de Cultura do Estado, em parceria com a Fundação Cultural do Pará. O selo é um reconhecimento para empresas que aceitam reverter impostos em investimentos de projetos culturais por meio da Lei Semar, como faz a Norte Energia com o Festival da Canção da Transamazônica, em Altamira, que neste ano chegou à sexta edição.

30 anos de abandono

Inconformados com as condições físicas e estruturais da escola “Augusto Ramos Pinheiro”, vinculada à Seduc, na comunidade de Mocajubinha, município de Terra Alta, nordeste do Estado, cerca de 200 pessoas, entre professores, servidores, pais e alunos fizeram protesto, ontem, fechando o tráfego de veículos na PA-137, que liga Castanhal a algumas cidades da região do Salgado. A manifestação durou três horas. A escola está a cerca de 30 anos sem manutenção e é frequentada por 500 alunos, 80% da zona rural.

Pedágio “barato”

“Querem ver como some R$ 5?” Com essa pergunta, caminhoneiro chama atenção, em vídeo que circula nas redes sociais, para os “pedágios” cobrados por policiais militares no quilômetro 858 da BR-158, à altura da Vila Mandi, em Santana do Araguaia. “Ô, Polícia vagabunda essa Polícia do estado do Pará!”, exclama ele, sem poupar críticas ao governador Helder Barbalho quanto à atuação dos militares. Veja o vídeo, sem cortes.

Divulgação

  • Sucateada e pisoteada ao longo de décadas, a Sudam reuniu seu “Conselhão”, ontem, diz que para discutir e apreciar prioridades e para o desenvolvimento regional.
  • Na verdade, o foco do encontro virtual foi mesmo a criação de diretrizes e prioridades para a aplicação dos recursos de fundos constitucionais de financiamento para 2022.
Divulgação
  • Comenta-se que Helenilson Pontes conversou com   o ex-governador Simão Jatene de olho na candidatura ao governo do Pará. Na suposta composição, Flexa Ribeiro (foto) seria o candidato ao Senado.
  • Apesar da derrota, o governo viu no resultado da votação do Voto impresso uma demonstração de força do presidente Jair Bolsonaro, enquanto ministros falam em buscar acordo com o Tribunal Superior Eleitoral por mudanças no sistema de votação.
  • As conversas podem começar em uma reunião entre o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, e o presidente do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, marcada para a próxima semana.
  • Para o cientista político Octavio Amorim, da Fundação Getúlio Vargas, a “terceira via aderiu à agenda da extrema direita”, com parte dos votos do DEM, MDB e PSDB a favor do voto impresso.  Ele vê ameaça, por isso, a uma candidatura presidencial das legendas.
  • O novo substitutivo do relator Celso Sabino na proposta de mudança no Imposto de Renda ainda enfrenta resistências. Sete pontos impedem acordo, inclusive a alíquota de 20% para lucros e dividendos.
  • A votação pode ir para a semana que vem, segundo analistas políticos, porque hoje o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros, depõe à CPI da Covid e os deputados devem votar destaques da minirreforma eleitoral e da medida provisória que flexibiliza regras trabalhistas.
  •  Incentivar o desenvolvimento do segmento de games no País é a proposta da nova redução de impostos para jogos eletrônicos, assinada ontem pelo presidente Bolsonaro.
  • Acusados de incendiar a estátua de Borba Gato, em São Paulo, já estão soltinhos da silva, embora indiciados por incêndio, associação criminosa e adulteração da placa do veículo usado na ação.
  • Embora com venda vedada em farmácias, o fármaco Regdamvimab já teve seu uso emergencial em hospitais, no trato da Covid-19, liberado pela Anvisa.
  • Com o custo da energia sempre subindo, foi de “apenas” R$ 2,5 bilhões o lucro da Eletrobrás no segundo trimestre do ano. 

Deixe o seu comentário