Pará é quase fona no
Programa de Vacinação

Os indicadores estatísticos de vacinação por Estados divulgados diariamente no Jornal Nacional (Rede Globo-TV Liberal) colocam o Pará na rabeira, com 0,42% da população na última sexta-feira, muito abaixo dos demais Estados. Tudo bem que a logística paraense é mais complicada, pela extensão do território – o Amazonas talvez seja prioridade, dado o número de casos e o caos lá instalado. Contudo, a situação deverá se refletir aqui, com medidas mais restritivas do governo.

Nu e sem bolso

Prefeitos eleitos  ano passado estão “porrraqui” com o ministro Paulo Guedes, que decidiu provisionar parte do FPM, cujos  antecessores deixaram rombos na Previdência ou em convênios com  a União. No Pará, onde quase a totalidade das prefeituras vive  do FPM, o ato foi  como tirar o osso de cachorro faminto. Alguns advogados já estão em campo para tentar garantir o repasse, ainda que suficiente para, pelo menos, os prefeitos honrarem o pagamento de pessoal.

É do Pará

A partida final da Taça Libertadores, entre Palmeiras e Santos, mostrou a quantas anda o pobre futebol brasileiro. O  Pará, que tinha dois filhos da terra na disputa – um de cada lado -, assistiu feliz o passe primoroso do atacante Ronny (foto) para o gol de cabeça que deu o título ao Palmeiras. Mas, porém, todavia, contudo, o grande  vencedor foi novamente um técnico português, o  jovem Abel Ferreira, que segue fazendo a fama e a cama dos treinadores estrangeiros por estas bandas.

Divulgação

Meio ambiente

O  Observatório do Meio Ambiente do Poder Judiciário se reúne hoje para avaliar propostas de ações apresentadas pelos integrantes para serem executadas neste ano. Na abertura da reunião, o vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, apresentará o Conselho Nacional da Amazônia Legal, que atua como colaborador no Observatório. A reunião será transmitida em canal fechado.

Duas propostas

Duas propostas serão apresentadas por representantes da sociedade civil que compõem o grupo. O Observatório do Meio Ambiente é composto por onze conselheiros do Conselho Nacional de Justiça, o CNJ, seis representantes da sociedade civil com atuação em defesa do meio ambiente e uma organização multilateral. O Observatório estuda, monitora, pesquisa, programas, projetos e ações para a construção de diagnósticos das boas práticas ambientais.

Jovem aprendiz 

Jovens de várias comunidades de Oriximiná, no oeste paraense, vão dar partida ao novo ciclo do Programa Jovem Aprendiz, promovido em uma parceria da Mineração Rio do Norte com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial. O programa proporciona uma formação de qualidade, que envolve aulas teóricas e atividades práticas nas áreas operacionais e administrativas da MRN. A formação tem duração de um ano e carga horária de quatro horas diárias.

Tempo real

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia implanta hoje ferramenta que proporciona novos benefícios aos profissionais do agronegócio e garante agilidade, segurança e padronização em procedimentos. A partir de hoje, engenheiros agrônomos e florestais terão a liberdade de emitir até 100 receitas, com acesso em tempo real pelo Conselho, permitindo o aperfeiçoamento da fiscalização e a prescrição correta de produtos. O conselho tem parceria com a Adepará e Ceplac.

“Xá comigo”

O governo da Califórnia (EUA) avia que promoverá as Olimpíadas neste ano se Tóquio desistir. No início dos anos 2000, Bogotá desistiu dos Juegos Sudamericanos por causa do embate entre o governo e as Farc e o Brasil assumiu o evento poucos meses antes, mas teve que dividir as modalidades entre o Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba e Belém. Verdade que há uma enorme diferença entre as situações 20 anos atrás e hoje, mas, os americanos são bons em fazer e gastar.

Boas novas

Cientistas da Ruhr University Bochum, na Alemanha, conseguiram reparar espinhas dorsais danificadas de ratos e fazê-los andar duas a três semanas depois de injetar uma proteína no cérebro dos roedores. Os pesquisadores desenvolveram uma proteína chamada “hiper-interleucina-6”, que pode estimular a regeneração de células nervosas danificadas.

Mais testes

A proteína foi geneticamente modificada em laboratório, pois não ocorre naturalmente. Para maior eficiência da proteína, os cientistas desenvolveram geneticamente um vírus que transporta a proteína para dentro das células. Dietmar Fischer, chefe das pesquisas, disse que agora a meta é testar a proteína em mamíferos como porcos e cães, para, só depois, aplicar em seres humanos.

  • A quem interessar possa: a primeira dose da Coronavac imuniza 50,25%. A segunda dose, de 14 a 28 dias após a  primeira, imuniza em cerca de 80%.
  • Não se sabe até agora por quanto tempo dura essa imunidade, segundo o Instituto Butantã. De qualquer modo, melhor prevenir do que remediar.
  • E a tal greve dos caminhoneiros, hein? Foi do nada para lugar nenhum. Afinal, trata-se de um movimento sem identidade, inclusive com a confederação nacional, que está mais afinada do que nunca com o governo de plantão.
  • O Remo encerrou sua participação na Série C no lugar que sempre esteve, “visse” torcedor? Pior: começou a cair, antes de subir. Valha-nos, como diria o comendador…
  • A vacinação no Pará é uma das mais atrasadas do Brasil. Será que o governo do Estado não poderia fazer convênios com as farmácias para agilizar a vacinação?
  • A população paraense quer saber quando começa a vacinação do grupo 2 no Estado, que contempla pessoas acima de 60 anos. Perguntar não ofende.
  • O Programa Fazendo Justiça no Pará está definido. Semana passada, o TJ e o CNJ assinaram acordo que garante a operacionalização do programa que prevê a superação dos desafios do sistema penal.
  • O Fazendo Justiça foi montado a partir do legado do programa Justiça Presente e conta com apoio do Ministério da Justiça e Segurança Pública, na figura do Departamento Penitenciário Nacional.
  • Além da pactuação, foi inaugurado o serviço de Atendimento à Pessoa Custodiada, no Fórum Criminal de Belém, na Cidade Velha.
  • Em Irituia, a terra dos absurdos, o que se diz é que o pessoal do primeiro escalão da Secretaria de Saúde segue o péssimo exemplo do próprio secretário, Jeferson Lima, que furou a fila da prioridade na vacinação contra a Covid-19.
  • Não está nada fácil a questão de troco em casas comerciais e principalmente em supermercados da Grande Belém. Até diabético está sendo obrigado a receber bombom como troco.
  • Nos supermercados, aliás, sempre se ouve duas perguntas irritantes: quer nota fiscal? Aceita uma bala? Tomara o Banco Central e a Sefa resolvam isso.

Deixe o seu comentário