Pedral do Lourenço

Divulgação

Governo federal retoma
estudos técnicos para abrir
navegação no rio Tocantins

Sábado, 19 e domingo 20 de junho de 2021

De ordem do Alto Comando da Marinha, representantes da Capitania dos Portos da Amazônia Oriental, com base em Belém, se reuniram com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas e diretores do Dnit, no final do mês passado, para discutir a retomada do Projeto de Derrocamento do Pedral do Loureço (foto), que prevê viabilizar o tráfego de embarcações e aumentar a navegabilidade da hidrovia do Tocantins.

Parecer técnico

As primeiras recomendações da Marinha apontam para a necessidade de atualizar o cronograma do projeto e inspecionar a área para verificar o ordenamento do tráfego e a segurança da navegação. Essas medidas irão subsidiar o parecer técnico da Marinha e a emissão de parecer preliminar para autorização da derrocagem.

Fora de ordem

Terceira na linha sucessória do Estado depois da nomeação do vice-governador eleito Lúcio Vale para o TCM, a presidente do TJ-Pará, desembargadora Célia Pinheiro (na foto, com o governador Helder Barbalho) está no olho do furacão. Ela é acusada de manter sua irmã, Priscila Pinheiro, na Casa Civil do governo do Pará e estaria impedida de julgar feitos envolvendo o Executivo, o que caracterizaria tráfico de influência e prevaricação – mas o fez, como no caso do concurso da PM, com decisão favorável ao governo.

Divulgação

Moto próprio

É fato que o CJN arquivou pedido de providências da OAB-Pará para apurar ocorrência e nepotismo no âmbito do TJ, mas fez recomendação para que ao menos quatro desembargadores se abstivessem de julgar causas em que o Estado apareça como parte. Essa decisão, porém, parece ter sido ignorada no Pará, onde, embora sem se manifestar até hoje sobre as denúncias, a presidente da corte bem que poderia se julgar suspeita nesses casos, senão por moto próprio, pela imparcialidade e idoneidade da magistratura.

Boca no trombone

Não será novidade se candidatos reprovados no concurso promovido pela Fundação Carlos Gomes para contratação de músicos profissionais para a Amazônia Jazz Band baterem à porta do Ministério Público munidos de documentos sobre irregularidades no certame. Em trocas de mensagens desde que saiu o resultado, descobriu-se que o repertório previsto no certame teria sido disponibilizado aos concorrentes antes da publicação do edital.  Se isso não é vazamento, melhor botar a viola no saco e rasgar.

Vela para Deus

Custa caro o apoio político à reeleição do governador Hélder Barbalho. A Igreja Assembleia de Deus, por exemplo, aproveita a “mamata” e enche a burra com tantos pedidos. Além daqueles feitos ao pé do ouvido, há a cessão – irregular, diga-se de passagem – do prédio histórico que foi residência de ex-governadores, no Largo da Trindade, para a instalação da rádio e TV Boas Novas. Além desse, outro prédio foi exigido na transação: o da antiga sede da LBV, ao lado do Santuário de Nazaré, onde, segundo consta na placa de obra, será instalado o museu da igreja.

Vela para o diabo

O interessante nisso tudo é que, durante a administração Duciomar Costa, outro prédio foi cedido com essa mesmíssima finalidade e que se acha fechado. Fica à João Diogo, ao lado da APL. Será que a Assembleia de Deus tem tantos itens para mostrar que precisa de dois museus, um municipal e outro estadual? Enquanto isso, o museu da maior festa católica do Brasil e uma das maiores do mundo, o Museu Círio de Nazaré, se acomoda sem espaços convenientes no porão da Basílica.

Sem noção

Ou o deputado federal Beto Faro é muito ingênuo, ou um completo sem noção. Aniversariante deste domingo, o petista, através da mulher dele, deputada estadual Dilvanda Faro, pediu aos parlamentares da Alepa que gravassem vídeo de 45 segundos enaltecendo suas qualidades na vida pública e no Parlamento. Noves fora os deputados da esquerda, o restante torceu o nariz para singelo pedido da nobre deputada Dilvanda Faro.

“Põe moral”

A reclamação disciplinar movida pelo MPF para apurar decisões incomuns no âmbito do Poder Judiciário – em plantões, substituição de juízes e liberdade para criminosos – provocou o que os especialistas e operadores do Direito chamam de “ação moralizadora” do CNJ. O resultado, segundo eles, é que essa iniciativa do Conselho deve “empobrecer advogados criminalistas que lavaram a égua com o comércio de decisões judiciais”.

Mais do mesmo

O Pará caminha para o terceiro ano consecutivo de aumento no desmatamento, muito por conta do fato de que a Secretaria de Meio Ambiente do Estado se atém a ações meramente repressivas, baseadas no eixo comando e controle. Não se houve falar em políticas públicas ambientais. Com a chegada do verão, o que está ruim tende a piorar até setembro, ficando a pergunta: qual o papel da Secretaria diante desse cenário aterrador?

Açaí solteiro

Nova variedade da fruta que encanta o mundo por suas propriedades nutricionais, o açaí “solteiro” foi descoberto por um produtor de Aurora do Pará, após meticulosas observações e experimentos. Além de não perfilhar, produz 12 enormes cachos por ano – contra oito cachos do açaizeiro tradicional -, tem caroço menor e é mais produtivo, por apresentar mais polpa, com cerca de 12% a mais de rendimento. Quem já teve o privilégio de provar diz que o sabor é de fato premium. 

  • Enfim, a Atlântica Salinópolis ganha uma banco 24 horas. O caixa eletrônico funcionará no Supermercado São Geraldo Matriz, à avenida Senador Lemos.
  • Mas, detalhe: além dos serviços convencionais, o banco permitirá saques no coronavoucher, o que não deve ser boa ideia para os frequentadores do balneário.
  • Rola um caso de amor proibido nas esferas do governo do Estado. Nada contra – o amor é lindo, afinal. O problema é que os respectivos cônjuges já sabem da traição.
  • De um atento observador da cena em Belém: “a distribuição de renda decorrente de todo tipo de crimes pode ser notada nos fins de semana pela orla de Belém e ilhas próximas”.
  •  “Belas lanchas, motos aquáticas, barcos enormes e carrões importados dão a entender que, mesmo na pandemia, o crime compensa”. Faz sentido.
Divulgação
  • O presidente do Banpará, Brasilino Assunção (foto), está sendo chamado de Brasilino 4.5, por conta de certos contratos assinados pelo banco estatal.
  • A Assembleia Paraense recomendou aos seus associados o uso de máscaras nas festas juninas previstas para este fim de semana.
  • O MP interpôs recurso junto ao TJ contra a decisão monocrática que deferiu o pedido de prorrogação de continuidade do Aterro Sanitário de Marituba por mais 15 dias.
  • Os autos do processo que resultou na prorrogação, solicitada pelas prefeituras de Belém e Ananindeua, sequer foram encaminhados para manifestação do MP.
  • A prova para o cargo de delegado da Polícia Civil do Pará, neste domingo, terá mais de 40 mil candidatos em Altamira, Belém, Itaituba, Marabá, Redenção e Santarém.
  • Leitor da coluna manda dizer que o Rio de Janeiro está um caos: a pandemia dizimou cinemas, lojas, bares e restaurantes, como o tradicional “Villarino”, onde Tom e Vinicius se conheceram e, agora, o “Amarelinho” e sua clientela de intelectuais, artistas, políticos, jornalistas e notívagos.
  • Em Copacabana, coração da Zona Sul, o cenário não é diferente. O bairro não tem mais espaço para cinéfilos. Livrarias e Sebos cerraram as portas. O “Cervantes”, o mais emblemático boteco do bairro, também não resistiu.  A cidade agoniza e pede socorro. 

Deixe o seu comentário