Justiça esbarra na Justiça
para punir Duciomar Costa

A Terceira Vara Federal Criminal de Belém trava árdua batalha para impor o ex-prefeito Duciomar Costa às sanções inerentes às denúncias de corrupção e malversação de dinheiros públicos ao longo de oito anos de administração, mas esbarra no Tribunal Federal da 1ª. Região. Estranho que todas as ações interpostas por advogados do ex-prefeito sejam direcionadas a apenas um juiz, religiosamente. Para Dudu, essa história de “rei morto, rei posto” é pura potoca. Ou parece ser.

Divulgação

Só em Colares

Centenas de moedas (foto) do Século XVII foram encontradas em um quintal na Ilha de Colares, região que, tempo atrás, teria servido de porto a insurgentes cabanos. Todas as moedas de ouro do tesouro, segundo a Polícia, sumiram misteriosamente. Duas pessoas que manipularam um detector de metais usado na descoberta são procuradas para esclarecer os fatos. A prefeita Maria Lucimar Barata, do MDB, pensa antecipar providências para a criação do Museu de Colares e reunir essas e outras descobertas de relíquias na ilha, inclusive o acervo sobre supostas aparições de Óvnis, na década de 1970.

A descoberto

Vem aí um relatório completo sobre as redes físicas e humanas da saúde no Distrito de Mosqueiro, região da Grande Belém. A nova agente distrital, Vanessa Egla, pediu um estudo geral da situação para organizar a campanha de vacinação contra Covid-19, mas, veio a primeira surpresa: nenhuma unidade básica e de referência de saúde da família contava com suporte de internet para registrar a imunização dos usuários do Sistema Único de Saúde, o SUS..

Deu calote

A empresa prestadora do serviço cortou o acesso porque não via a cor do dinheiro havia meses. Sem internet, os servidores não tinham como lançar o atendimento na rede nacional e o município de Belém sofria com a redução de metas de vacinação. O negócio apertava mais quando se lançava o nome do paciente na Central de Regulação de Leitos, quando servidores usavam os próprios celulares para fazer o registro.

Mais leitos

O governo do Pará aumenta a partir destra semana a quantidade de leitos clínicos e de Unidades de UTIs disponíveis para pacientes com Covid-19 nas regiões do Baixo Amazonas e Tapajós. Ao todo, serão 90 UTIs e 34 leitos clínicos, divididos entre os Hospitais Regionais do Tapajós, em Itaituba; do Baixo Amazonas, em Santarém; e Hospital 9 de Abril na Providência de Deus, no município de Juruti.

Nova bandeira

Desde sexta, está hasteada a bandeira vermelha como medida preventiva para a Região do Baixo Amazonas. Segundo o chefão da Procuradoria-Geral do Estado, Ricardo Sefer, os municípios da região saíram do bandeiramento laranja e passaram ao vermelho, mais restritivo, e que indica situação de alerta máximo, com capacidade hospitalar em risco e evolução acelerada do coronavírus. Às prefeituras cabe apertar o torniquete para evitar o alastramento da doença.

Faz as contas

Segundo pesquisa nacional, a maioria do povo brasileiro dá menos importância ao auxílio financeiro recebido do governo do que à vacina, que a maioria entende ser a grande cartada contra a Covid-19. Os recursos transferidos pelo governo de bilhões de reais  pesam menos politicamente porque, quando cortados, deixam a frustração na sociedade, diferente da  vacina, considerada elemento salvador de vidas e a redenção da doença para a ciência.

No fundo, no fundo…

O Senado recebeu semana passada projeto de lei que estende até 30 de junho o Estado de Calamidade Pública no Brasil por conta da Covid-19. Na prática, Bolsonaro quer criar condições para estender o auxílio emergencial – tirando dinheiro sabe-se lá de onde – pelo mesmo período. Uma das poucas formas de melhorar a popularidade de um presidente que segue a decadência própria dos governos de extrema-direita mundo afora.

Prédio ameaçado

Tudo bem que não se pode mexer na estrutura de prédios tombados pelo Patrimônio Histórico, mas a sede da Secretaria de Justiça e dos Direitos Humanos, na área do comércio central de Belém, bem que poderia receber uma atenção para diminuir a quantidade de infiltrações e mofo que tomam conta do interior do prédio. Se a situação incomoda quem vai à Secretaria apenas para receber atendimento, imagine para os funcionários…

Dono da vaga

Não interessa quantas denúncias cheguem aos órgãos de fiscalização. O absurdo sempre será marca registrada dos flanelinhas na área do comércio. A situação se agrava quando a ação é credenciada por servidores públicos, a exemplo do que acontece na Sejudh, onde há pagamento mensal por vagas em frente à instituição. É chegar com o carro e buzinar que a demarcação é retirada e o funcionário estaciona tranquilamente em frente ao órgão.

Pai da criança

Sargento Moraes, atual diretor do Demutran de Abaetetuba, onde a Polícia Civil cumpriu operação contra uma quadrilha que atuava no órgão vendendo veículos apreendidos, gravou vídeo nas redes sociais para se apresentar, na prática, como ‘pai da criança’ da operação. A pergunta que fica é: não dava para a própria Polícia Civil desarticular a organização criminosa, já que as denúncias acontecem há pelo menos um ano?

Pesca proibida

Fica proibida, até 28 de fevereiro próximo, a pesca na piracema em todo o território paraense. Mas a fiscalização será intensificada, principalmente, na região do Lago de Tucuruí, onde a extensão da área favorece a pesca predatória, tornando a reprodução desses peixes ainda mais vulnerável. A intenção dos órgãos de fiscalização do Estado é trabalhar em parceria com as prefeituras que integram a região.

  • Ironia do destino. O juiz Cláudio Ribeiro, o impagável Epaminondas Gustavo, internado desde a semana passada vítima de Covid-19, veio a óbito ontem, justamente o Dia do Riso. Vá em paz.
  • Começou o inferno astral do ex-presidente do Paysandu Ricardo Gluck Paul. Além de enfrentar a fúria de Mauricio Etinger, seu sucessor no cargo, vai encarar a Justiça para tentar se livrar de denúncias de crimes cometidos na administração Duciomar Costa.
  • Em razão do pífio resultado alcançado na eleição de prefeito de Belém – apenas 2,3 mil votos -, Guilherme Lessa foi destituído da presidência estadual do PTC. Assume o posto o empresário Alexandre Costa.
  • Veja até aonde vai a negligência: quando esteve em Manaus, o ministro da Saúde, Eduardo Pazzuelo, repassou R$ 8,5 bilhões ao governo do Amazonas, mas o governador Wilson Lima não fez a parte dele, segundo se diz por lá.
  • O governo devia R$ 52 milhões à White Martins, fornecedora de oxigênio, que, diante do calote, negou novas entregas, daí o colapso na rede de saúde. Agora, o que mais se fala é na possível cassação do governador.
  • Ainda assim, a Procuradoria Geral da República abriu investigação para analisar a conduta do ministro Eduardo Pazzuelo com relação à crise no Estado do Amazonas.
  • A PGE quer porque quer saber se o ministro entrou em cena para ajudar o Estado do Amazonas com a antecedência preconizada pelo Ministério da Saúde.
  • E lembrar que a Arena Amazonas, construída para a Copa do Mundo, custou a bagatela de R$ 12 milhões. O nome do Brasil é desperdício.
  • A principal rua de Benevides, Região Metropolitana de Belém, está uma buraqueira só. A nova administração da cidade enfrenta problemas de fornecimento de asfalto.
  • De 300 mil doses de vacinas prometidas pelo Ministério da Saúde para iniciar a imunização no Pará foram cortadas cerca de 200 mil doses. Assim, o programa de vacinação já começa comprometido.
  • A Fiocruz anuncia que a China ainda não liberou o chamado Ingrediente Farmacêutico Ativo para produção das doses de vacinas da AstraZeneca-Oxford, o que deve acarretar problemas no fornecimento do produto.
  • O governo do Pará irá disponibilizar dois grandes espeço públicos para a campanha de vacinação em Belém. O Mangueirão e o Ginásio Guilherme Paraense.
  • O técnico João Brigatti foi apenas um sonho de verão do Paysandu. Eliminado das rodadas finais da Série C, acabou dispensado – ele e parte da comissão técnica.
  • Outro sacrificado – se é que esse é o termo – é o atacante PH. O cara teve o gol escancarado e Nícolas desmarcado. Fez a escolha errada e mandou para fora.
  • Aliás, o Paysandu está sem técnico para o primeiro jogo da Copa Verde, dia 28 agora. Eis um drama que o Remo conhece há pelo menos 13 anos.

Deixe o seu comentário