Pará registra 7,7 mil novas
empresas criadas em janeiro

A Junta Comercial anuncia mais um recorde: o saldo de empresas registradas no Pará foi o maior dos últimos cinco anos – 7.720 registros em janeiro, ou aumento de 17,86% -, superando os anos de 2020 (6.341); 2019 (5.186); 2018 (4.159) e 2017 (4.615). Belém foi quem mais registrou (1.789), depois Ananindeua (595); Parauapebas (323); Santarém (322); e Marabá (274). Em janeiro, dos 7.725 registros, o Comércio obteve 3.272 aberturas e o setor de serviços 3.789 aberturas, além de 664 de novas Indústrias.

Conta e risco

Até agora, o tratamento cirúrgico para pacientes com diabetes Tipo 2, que não conseguem o controle da doença por meio de medicamentos, não terá cobertura dos planos de saúde.
A decisão saiu durante a 543º reunião da diretoria colegiada da ANS, no último dia 10, mas o martelo será batido hoje pelos diretores da Agência. A Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica reagiu à decisão da área técnica da ANS pela não recomendação da cirurgia e aponta que a Agência está deixando de ouvir a ciência em suas decisões.

Ela merece

A presidente do Conselho Regional de Psicologia, Jureuda Guerra (foto), foi homenageada, na última segunda-feira, pelos serviços prestados à saúde da população paraense. O ato ocorreu na celebração dos 371 anos da Fundação Santa Casa. Jureuda atua como psicóloga no “Espaço Acolher”, que atende vítimas de acidentes de escalpelamento. Na mesma ocasião foram homenageadas a assistente social Luzia Matos e a psicóloga Luana Matos.

Divulgação

Inferno na torre

O que se diz em Brasília é que a intervenção do presidente Jair Bolsonaro no comando da Petrobrás não abalou apenas o mercado financeiro, mas fez ruir parte dos intestinos da própria empresa, instalada em um prédio de 20 andares. O novo presidente, um general, é durão. Até 11 horas da manhã de segunda-feira ele já havia demitido 300 funcionários, desocupando um andar inteiro para acomodar agentes da PF e da Inteligência do Exército.

Durão é pouco

Do novo presidente da Petrobras diz-se que tem apenas quatro ternos e só usa sapatos Vulcabrás. A coluna não teve acesso ao guarda-roupa do general da reserva Joaquim Silva e Luna, mas foi informada de que, por ordem dele, até funcionários atrelados ao ex-ministro José Dirceu foram e ainda vão para o olho da rua – sem falar no esquema montado para negociar combustível e beneficiar alguns governadores na cobrança do ICMS.

Pé no chão

Voltando ao chão: essa decisão do Planalto que obriga postos de gasolina a apresentarem aos consumidores o valor de impostos cobrados sobre combustíveis é o tipo da medida que leva do nada para lugar nenhum. Parece conta de energia – que detalha consumo, impostos e quetais quando o que o consumidor vê mesmo é o valor da conta. Na hora de abastecer seu carrinho ou seu carrão o consumidor quer preço; o resto é confeitaria.

Mais do mesmo

Mesmo que o consumidor paraense adote sacolas e carrinhos para as compras nos supermercados, os sacos plásticos continuarão a armazenar o lixo diário caseiro, seja o biodegradável ou o tradicional pretinho, tão prejudicial quanto o atual. Além do mais, grande parte dos alimentos  é vendida em plásticos – arroz, feijão, macarrão, bolachas, açúcar, trigo – e tudo isso vai para o mesmo endereço, o lixo, como qualquer saquinho de compras.

No ar

A indústria de novelas da televisão brasileira, que começou nos anos 1950 na extinta TV Tupi, ao vivo e em preto e branco, evoluiu muito até os tempos atuais, mas a pandemia paralisou trabalhos, obrigou emissoras a manter  profissionais em gravações individuais e a reduzir elencos e cenas e agora trás uma surpresa: a Globo vai produzir novelas gravadas inteiras, sem a interferência do grupo que opina, a pedido da emissora, avaliando e indicando os passos seguintes da trama. Se dará certo só o tempo dirá.

Altos índices

Falando em novelas, a nova novela da Record, “Gênesis”, há um mês em cartaz, vem alcançando altos índices de audiência, com 20% em Goiânia,  19% em Belém e média de 15% no País. Nem é para menos: há 250 atores em cena; 800 profissionais envolvidos; 25 mil peças de figurino e gravações no Brasil e no Marrocos com temas contendo histórias do Livro Sagrado. A TV Globo que se cuide com seus projetos bem elaborados.

Duro de matar

O brasileiro perde o amigo, mas não perde a piada. Na Câmara Federal, parlamentares tratam o deputado Daniel Silveira de “Bruce Willis”, o ator norte-americano a quem se atribui, em alguns de seus filmes, “muita força e pouco cérebro”. Bruce, quero dizer, Daniel Silveira conseguiu se indispor com os três poderes da República, que execraram seu comportamento e avaliam o grau de sua punição, que poderá lhe custar até o mandato.

Habilite-se

Está aberto o edital do Programa Compromisso com o Clima para seleção de projetos de neutralização de gases de efeito estufa. Projetos de diversas áreas podem ser inscrever. Nesta edição, no entanto, serão priorizadas ações focadas em agricultura, floresta e uso do solo, incluindo iniciativas de Redução das Emissões do Desmatamento e da Degradação Florestal, tanto para a Amazônia quanto para outros biomas brasileiros.

10 milhões

O Brasil  registra 10 milhões de casos de pessoas com a Covid-19 e mais de 240 mil óbitos, um dos maiores do mundo. Se isso não é o preço da negligência das autoridades da Saúde, bem parece. Equívocos de governos e desinteresse da sociedade em seguir um modelo de prevenção mais que conhecido permeiam o caos. Como o vírus veio para ficar – e matar -, resta esperar pela vacina e manter os cuidados devidos. O mundo jamais será como antes.

  • A PGE ouviu da Associação Paraense de Supermercados a promessa de que a rede reconhece o erro e vai deixar de cobrar pelas sacolas com a marca do governo.
  • Assim: o que o consumidor pagou para levar suas compras ao longo de uma semana fica por isso mesmo. Não tem MP nem Procon para sair em defesa dos coitados.
  • A Corregedoria Regional do TRF da 1ª Região encerrou segunda-feira a correição ordinária em doze varas da Justiça Federal em Belém e interior e nas duas Turmas Recursais de Juizado Especial Federal do Pará e Amapá, que funcionam na capital.
  • A partir deste ano o FNDE passará exigir que apenas 20% – e não mais 30% – do recurso federal enviado para a alimentação escolar nos Estados e municípios sejam direcionados para a compra de produtos oriundos da agricultura familiar.
  • Em outras palavras, o MEC parece ter jogado a toalha: a maioria dos municípios nunca conseguiu cumprir a meta, quer pela falta de legalização das cooperativas, ou má fé.
  • Os trabalhos começaram no dia 1º e foram realizados integralmente de forma virtual, sobretudo através do Teams, a plataforma corporativa que dispõe de vários recursos que facilitam a interatividade.
  • Acontece hoje o lançamento do primeiro paper da pesquisa de análise socioambiental das mudanças climáticas no município de Belém e o lançamento do website Amazônia Legal Urbana (canal Youtube Clima e Sociedade).
  • Erramos: na coluna de ontem, trocamos o nome do ex-deputado e presidente da Assembleia Legislativa Marcio Miranda por Mário Miranda. Mil perdões.
  • Funcionando em regime de plantão no decorrer do Carnaval, a Justiça do Trabalho apresentou os números da semana entre 15 e 21 de fevereiro, que encaminhou ao CNJ. Foram 1.102 julgados, 714 decisões e 2.519 despachos.
  • A Pró-Saúde está com vagas de emprego disponíveis para atuação nos municípios de Ananindeua, Região Metropolitana, e em Altamira, região do Xingu.
  • Pesquisa da CNI aponta que 82% das grandes empresas brasileiras pretendem investir neste ano – 35% em melhorias do processo produtivo e 33% para aumento da capacidade de produção, com a aquisição de novas máquinas e tecnologias.
  • Autodeclarada nova liderança política e intelectual do Brasil, a cantora Anitta fez uma tatuagem no lugar, digamos, mais recôndito e imponderável do corpo humano.
  • E, dizem, se submeteu à sessão de quatro, como manda a regra, por umas boas quatro horas, sem desconforto, aparentemente, com direito a fotos e publicação nas redes sociais.
  • Então, fica combinado assim: a moça conseguiu virar o Brasil de ponta-cabeça. Sem muito esforço.

Deixe o seu comentário