Atestado médico emitido em 2018 concede licença de 20 à paciente e indica diagnóstico da doença /Divulgação

Notícias de Brasília dão conta de certo desconforto nos gabinetes do Ministério da Agricultura – e especialmente no gabinete da ministra Tereza Cristina, titular da pasta -, por conta da inusitada presença de uma técnica paraense supostamente indicada pelo deputado federal Eder Mauro para ocupar a nervosa Coordenadoria-Geral de Registro. Essa Coordenadoria, para quem não sabe, tem como missão constitucional gerir o Cadastro Nacional do Seguro Defeso, onde foram detectadas fraudes em 60% dos registros e que tornaram o setor alvo frequente de ações da Polícia Federal Brasil afora.

Diagnóstico médico
compromete indicação

A grande questão é que a moça indicada é portadora de atestado médico emitido e assinado em 2018 pela médica psiquiatra Maria do Rosário Amaral Botelho (CRM/PA 3833), cuja cópia está em poder da coluna, onde aparece diagnosticada com “depressão grave em fase evolutiva, com sintomas psicóticos, impossibilidade de desenvolver atividade econômica e de gerir a sua própria vida”(cid F32.3), isto é, tudo o que a ministra Tereza Cristina não quer sob seu comando.

Deixe o seu comentário