A voadora Azul passa a operar voos Belém-Paragominas e Belém-Tucuruí em novembro com Cessna Grand Caravan para nove passageiros/Divulgação

Senhores façam suas escolhas: a empresa de navegação Bom Jesus, pertencente à família do deputado estadual Luth Rebelo, passou a cobrar, supostamente por conta e risco, R$ 200 na passagem de catamarã no trecho Belém-Breves e acaba de aumentar de R$ 25 para R$ 30 o valor da passagem entre Belém e Ponta de Pedras. Outras empresas de navegação não gozam desse mesmo direito – de reajustar preços de serviços ao bel prazer sob o olhar complacente e indiferente da Arcon, órgão encarregado de fiscalizar e controlar o transporte de passageiros nos modais rodoviário e hidroviário. Mas, quem sabe não seria a força de voto do deputado Luth em plenário que abafa o clamor dos usuários sempre espoliados e sacrificados?      

“Nunca foi tão fácil
voar”. Lembra?

Estão abertas desde ontem, as vendas de passagens aéreas garantem caminho rápido para dois novos destinos da voadora Azul no interior do Pará. Tucuruí e Paragominas contarão com dez voos semanais para Belém a partir dos dias 22 e 23 de novembro, respectivamente. Os bilhetes para os novos voos podem ser encontrados em todos os canais oficiais da Azul a partir de R﹩230,86. As duas rotas serão operadas em aeronaves Cessna Grand Caravan para até nove passageiros. E aí: vai de barco ou de avião?

Deixe o seu comentário