Gastos com publicidade do governo do Estado equivalem ao dobro do montante aplicado pelo governo anterior/Agência Pará

Nunca antes um governo do Pará gastou tanto em publicidade como o atual, comandado por Helder Barbalho. Só para este ano, apesar da pandemia, a Secretaria de Comunicação  tem comprometidos R$ 58 milhões, de acordo com o que está empenhado desde o início do ano.  Com mais R$ 5 milhões que saem dos milionários cofres do Detran, R$ 4 milhões do providencial Igeprev de Giussep Mendes e R$ 15 milhões do generoso Banpará de Braselino Assunção a festa está arranjada. Mas, acredite, ainda é pouco. 

Dinheiro a rodo e festa
milionária garantida

A soma desses valores milionários representa nada mais, nada menos do que R$ 82 milhões para o governo torrar em publicidade e com ações entre amigos, parentes e aderentes – um recorde, uma vez que equivale ao dobro do gasto no governo anterior. Em tempo: não estão computados nesse balaio valores referentes à publicidade da Cosanpa, Prodepa, Emater e outros órgãos menos votados da atual administração do Estado. 

Quem leva a parte do
leão nessa na gastança

Não custa nada lembrar que a parte do leão desse mundo de dinheiro vai para os cofres do Grupo RBA, não por acaso de propriedade da família de sua excelência o governador Helder Barbalho. Basta folhear as edições do jornal impresso da família e a programação das emissoras de televisão e rádios: o que não falta é propaganda do governo. Perguntar não ofende: pode governador de Estado autorizar despesas de publicidade  nas empresas das quais também é sócio? Que parece uma ação em causa própria parece.

Pedido à Assembleia
inclui extra de R$ 25 mi 

Não bastasse toda essa gastança de dinheiro público com publicidade, eis que vem mais por aí – afinal, como dizia famoso vereador do Jurunas, “desgraça só quer começo”. A Casa não confirma, mas fala-se que aportou semana passada na Assembleia  Legislativa pedido extra de reforço orçamentário para a publicidade do governo? Sabe de quanto? Mais R$ 25 milhões para gastar em novembro e dezembro, os dois meses que faltam para o fim do ano pré-eleitoral. 

Papo Reto

  • Além da pandemia, os devotos maristas enfrentaram a insensibilidade da Semob em pleno Círio, apesar da falta de estrutura para estacionamento na cidade.
  • Os talões de multas deveriam ser suprimidos para dar prioridade às ações de orientação no trânsito no centro de Belém.
  • Servidores da Emater estão a ponto de explodir. Quase abertamente, agora denunciam a direção da empresa a quem quiser ouvir.
  • Falam até de um contrato no valor de R$ 173.743,90 que teria sido liberado sob condição nada republicana. Como o povo só aumenta…
  • Para acabar de completar, o chefe do setor de Licitação da Emater, Gilson Aurélio Miranda Mendes caiu. Ainda não se sabe o que o rapaz tem a dizer.
  • O Museu Emílio Goeldi abriu processo seletivo para contratação de estagiários. São nove vagas para preenchimento imediato e formação de cadastro de reserva, tanto para o exercício de atividades no Parque Zoobotânico quanto no campus de pesquisa.
  • As oportunidades contemplam estudantes de Pedagogia, Letras, Educação Especial e Licenciaturas em Geografia, Ciências Biológicas e Ciências Ambientais, Museologia, Turismo, Artes, Arquivologia, Biblioteconomia, Secretariado Executivo e Engenharia Civil.
  • Os times de basquete masculino e feminino de Ponta de Pedras, no Marajó, que disputaram o torneio  nacional amador, em São Luiz, Maranhão, conquistaram excelentes colocações, ficando em 3º e 2º lugar em seus grupos, respectivamente.
Divulgação
  • A prefeita Consuelo Castro (foto), que bancou o custo da viagem e estadia dos atletas, pretende investir em esporte amador com escolinhas e profissionais mais capacitados.
  • Pará vai sediar o Encontro Nacional de Jornalista e Comunicadores de Turismo em Santarém, nesta semana,  e na próxima,  em Cachoeira do Arari, Soure e Salvaterra. 
  • Perdão, leitores: por equívoco, a coluna publicou, na edição das 8 horas de hoje, imagem de uma viatura da PRE do Paraná como sendo da PRE do Pará. As informações, porém, são relacionadas à atuação da Polícia paraense.

Deixe o seu comentário